Grutas

Grutas

No Bom Jesus várias grutas se encontram para nossa admiração e desfrute: a gruta que remata a grandiosa obra do lago, constituída em abóbada de grosseiras pedras; e a gruta artificial, em cantaria, num plano superior à casa das estampas, construída nos primeiros anos do século XX, sob projeto de Ernest Korrodi, que desenhou este e outros motivos que se encontram por todo o parque.

Esta gruta é iniciada em 1902 e foi executada por José Martins Branco, do Porto. É uma gruta abobadada, um verdadeiro retiro melancólico e fresco, que remata a grandiosa obra de uma pequena lagoa, guarnecida de plantas aquáticas, onde se ouve o murmúrio das águas.

A inauguração da gruta aconteceu em 9 de agosto de 1903. Situa-se numa plataforma acima da Igreja, com amplo espaço ajardinado, formando vários canteiros relvados, onde surgem pequenos arbustos, encimada por um miradouro octogonal, com estrutura de cortiça, acedida por escadas sinuosas, com guardas do mesmo material.

Esta gruta é bastante semelhante às que se encontram no Castelo do Bom Jesus e no Castelo de D. Chica, em Palmeira. A beleza da gruta parece interminável, uma vez que a água que jorra, submetida aos efeitos do sol, acaba por dar um efeito magnífico, ao ponto da sua construção se assemelhar a uma erupção vulcânica que por ali espalhou lava.

DSC00384

O Bom Jesus do Monte, referência incontornável.