Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Bom Jesus apresenta novo Presépio para a Basílica

A Confraria do Bom Jesus do Monte apresentou o seu novo Presépio de Natal. Este período natalício é sempre uma quadra feliz e muito especial. Comemora-se o nascimento de Jesus Cristo, que veio ao mundo para salvar todos os homens. Conta-se que o Menino Jesus nasceu na cidade de Belém, numa manjedoura, entre os animais. Esta foi a sua primeira lição de humildade. Na verdade, o Bom Jesus, desde logo, manifestou e revelou o amor de Deus na sua plenitude, descendo à nossa condição humana e frágil para ficar connosco, para se fazer próximo, para nos amar de modo incondicional! Durante a apresentação o Presidente da Confraria do Bom Jesus, Cón. Mário Martins, referiu “Quando nos detemos diante da simplicidade provocadora, e ao mesmo tempo, encantadora do presépio, o nosso coração ousa experimentar um tempo e uma jornada de gestação, tal como nos desafia a nossa Arquidiocese de Braga ao longo deste tempo de Advento e Natal; gestação, essa que nos confirma na esperança, no aconchego de nos sabermos queridos e amados e, dessa forma, nos capacita para a prática dos gestos que nascem do amor, num caminho que percorremos em conjunto, que podem cuidar e até curar as feridas dos nossos irmãos! “

O presépio é, por isso, a representação do nascimento de Jesus num estábulo. São Francisco de Assis, no ano 1223, resolveu passar o Natal numa gruta. E divulgou a ideia de criar figuras em barro para representar o nascimento de Jesus. Foram criados muitos presépios a partir dessa data. Por todo o mundo comemora-se o nascimento de Jesus de várias formas, mas o presépio é, provavelmente, a representação mais tradicional desta época, juntamente com o pinheiro de Natal.

Na Basílica do Bom Jesus sempre foi uma tradição apresentar o presépio. Este ano, decidimos criar um presépio que nos permita ter uma presença permanente e distinta, numa apresentação mais artística (e ao mesmo tempo, tradicional). Esta obra de arte foi concebida por um artista, que, casualmente, também, é secretário da Confraria do Bom Jesus, o Dr. Vicente Craveiro. A ele devemos esta expressão de beleza, capaz de melhor nos fazer rezar este tempo de Advento e Natal, que estará presente ao público, a partir desta data, aqui nesta Basílica.

Este presépio será mais uma razão e oportunidade para todos os bracarenses, e quem nos visita nas suas férias de Natal, virem até ao Bom Jesus do Monte e rezarem junto ao Menino, Aquele mesmo Menino que, anos mais tarde, do alto da Cruz nos abraça e nos resgata com a sua misericórdia.

Todavia, neste presépio não está apenas representado o nascimento do Menino Jesus. Está também a tradição católica das nossas gentes, as tradições do Minho, as romarias e procissões, a música, as profissões, a natureza, o artesanato entre outros elementos que compõem esta bela obra de arte.

A propósito, a apresentação deste presépio serviu de mote para assinalar algumas ações que a Confraria do Bom Jesus já desenvolveu no âmbito da Plataforma de ação Lautato Si. Deste logo, o presépio valoriza o artesanato local, com o figurado dos nossos artesãos de Barcelos, os elementos naturais (o barro, a cortiça, o musgo e a madeira). A Confraria do Bom Jesus, a partir de hoje, tem também um espaço na Casa das Estampas dedicado ao artesanato e artesãos locais.

Aliás, das ações presentes no protocolo assinado por esta Confraria, pela Confraria do Sameiro, pela Irmandade da Falperra e a Santa Marta das Cortiças, em 27 de setembro do presente ano, foram já algumas concretizadas, como as que a seguir passo a enumerar:

  • Apoiamos a economia circular promovendo o artesanato local, com produtos locais.
  • Plantámos, ao longo do último mês, mais de cem árvores autóctones.
  • Estamos a renovar e instalar sistemas de iluminação (interior e exterior) mais sustentáveis e eficientes, com a transição para luzes led’s.
  • Protegemos e recuperámos duas nascentes de água e minas, garantindo o uso sustentável da água.
  • Criámos um centro de combustão, para aproveitamento como fertilizante natural das folhas das árvores e de outros resíduos florestais.
  • Eliminámos o uso de sacos plásticos na casa das estampas e produzimos um saco de papel reciclado com a imagem do Bom Jesus.
  • Recolocámos alguns bancos na zona do “canudo”, com o intuito de criar espaços de reflexão no espaço natural para contemplar, ouvir, sentir e observar a natureza.

 

Conforme adiantou o Presidente da Confraria “outras ações estão a ser estudadas e, a seu tempo, concretizadas. Por estas e outras razões, pautaremos a nossa atuação por uma ação sustentável, como um eixo estratégico na gestão desta estância, de acordo com as orientações que o Papa Francisco nos indicou”.

O autor deste novo Presépio e Mesário da Confraria do Bom Jesus do Monte – Dr. Vicente Martins – lembrou os tempos difíceis que todos os cristãos (e a humanidade, em geral) estão a atravessar neste tempo de pandemia e referiu as três motivações e intenções fundamentais desta obra:

  1. Ajudar na celebração de um Natal em Esperança.
  2. Reforçar esta tradição tão antiga que é o Presépio Português.
  3. Impulsionar a actividade dos artesãos em dificuldade.

Houve ainda tempo para um desafio deixado a todos os bracarenses (e a tantos quantos nos visitam): que em cada família, em cada lar, seja construído um presépio, pequeno que seja.

Dom Jorge Ortiga reforçou esta ideia dizendo que “em nenhuma casa minhota pode faltar um Presépio”.

O prelado salientou a importância do cuidado com a natureza nos tempos que correm – importância já bem vincada no Programa Pastoral da Arquidiocese – e lembrou, citando o livro do Génesis, que Deus entrega a Natureza ao Homem para que este a complete e não para que a destrua. Neste sentido, todos os católicos devem desenvolver (até nas pequenas acções) o gosto pelo que é criado e a responsabilidade de renunciar, e porventura até denunciar, atitudes intoleráveis para com a Natureza. Esta é a mensagem que o Presépio deve emanar: o apelo a que se cuide da Natureza.

Por fim, desde este Santuário que é, nas palavras de Dom Jorge Ortiga, o ex-libris de Braga orou ao Senhor Bom Jesus – que é o mesmo que está na Cruz e no Presépio – para que derrame as Suas bênçãos sobre a cidade de Braga.