Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Recomendações da UNESCO ao Santuário do Bom Jesus foram aprovadas pelo Comité do Património Mundial

 

A inscrição do Santuário do Bom Jesus na Lista do Património Mundial da UNESCO marca, de forma decisiva, o futuro e a sustentabilidade deste local e acarreta uma grande responsabilidade na gestão do bem.

Um mês depois da 43.ª sessão do Comité do Património Mundial, em Baku, na República do Azerbaijão, a Confraria do Bom Jesus do Monte, conforme estava já previsto, foi notificada para proceder à concretização das recomendações da UNESCO junto do Centro do Património Mundial, até ao dia 15 de dezembro de 2020, relativas a um conjunto de temas que passamos a elencar:

  1. Melhorar a documentação, fixando o inventário de elementos do património e arquivando todo o tipo de documentos, melhorando o plano de ação para incluir todas as obras atualmente em andamento e as que estão a ser planeadas, e melhorar as ligações institucionais entre os dois municípios (Braga e Guimarães) e outras partes interessadas para a prevenção e combate a incêndios;
  2. Finalizar o processo de classificação de todo o local como Monumento Nacional;
  3. Assegurar financiamento para realizar trabalhos de conservação planeados no futuro em tempo útil;
  4. Complementar o planeamento de gestão para controle de visitantes, inclusive dentro do parque;
  5. Desenvolver indicadores de monitorização adicionais para abordar as ameaças identificadas à propriedade (incluindo a mata), monitorizar e abordar as ameaças potenciais à propriedade, tais como expansão/desenvolvimento urbano e impactos dos visitantes;
  6. Compromisso firme e preciso quanto ao momento de retirada da esplanada;
  7. Desenvolver um estudo mais completo e detalhado sobre a compreensão das plantas existentes que complementam os atributos da paisagem com base neste trabalho, e usar essas informações para atualizar o planeamento de gestão da paisagem.

A Confraria do Bom Jesus do Monte enviou o relatório de resposta às recomendações da UNESCO, o primeiro desde que o Santuário está inscrito na Lista do Património Mundial. A entrega do relatório no Comité do Património Mundial, em Paris, pelo Estado português, através da Comissão Nacional da UNESCO, aconteceu no dia 15 de dezembro de 2020.

No passado dia 22 de julho, na 44ª sessão do Comité do Património Mundial, que está a decorrer em Fuzhou, na China, foi apreciado o relatório de resposta às recomendações, feitas pela UNESCO, tendo sido unanimemente aprovado pelo Comité.

A elaboração deste relatório levou a Confraria a realizar diversos investimentos, procurando assessorias especializadas e colaborações com as entidades, com competências e responsabilidades no território.

Relativamente aos esclarecimentos sobre o ponto 1, a Confraria do Bom Jesus, com a instalação do Centro de Memórias do Bom Jesus, conseguiu inventariar e organizar todo o espólio. O mesmo está acessível no local ou online em https://centrodememorias.bomjesus.pt/en/home/ com versão em português e inglês. A documentação tem vindo a ficar, progressivamente, acessível a qualquer internauta, nacional ou estrangeiro. A segunda parte do ponto 1 foi desenvolvida para defesa da floresta contra incêndios, permitindo reforçar a proteção do Bom Jesus e toda a área envolvente.

O ponto 2 ficou concluído com a publicação no Diário da República do Aviso n.º 20150/2020, que torna pública a inscrição na Lista do Património Mundial do Santuário do Bom Jesus do Monte, equiparando-o a Monumento Nacional.

A pandemia provocada pelo covid-19 veio reduzir drasticamente as receitas da Confraria. Deste modo, assegurar o financiamento para realizar trabalhos de conservação e responder plenamente ao ponto 3 tornou-se uma tarefa árdua. No entanto, está garantido o financiamento dos trabalhos correntes de manutenção. Por outro lado, a Confraria procurará, junto dos fundos comunitários, obter financiamento para alguns trabalhos e projetos de maior vulto, como aconteceu em anos anteriores com os projetos Bom Jesus Requalificar I e II.

O ponto 4 foi respondido com base no projeto que a Confraria do Bom Jesus adjudicou ao Ateliê de Arquitetura do Beco da Boavista, onde foram apresentadas soluções que vão auxiliar o planeamento e gestão mais eficazes e sustentáveis para o controle de visitantes, no exterior e interior da cerca do Santuário.

Provavelmente, um dos aspetos que mais preocupa a Confraria, juntamente com o risco de incêndio, é a expansão/desenvolvimento urbano. Este ponto foi tratado em conjunto com a Câmara Municipal de Braga, que elaborou um relatório detalhado de todos os procedimentos urbanísticos aprovados, ou em curso, para a denominada “zona tampão”, definida no âmbito do processo de classificação do Bom Jesus do Monte como Património Mundial. A existência de alguns projetos aprovados antes de 2017 foi uma surpresa, embora sabíamos e assumimos que dentro da zona tampão teríamos algumas áreas urbanas. Neste momento é necessário, com o apoio da Câmara Municipal e da Direção Regional de Cultura do Norte, controlar esta pressão urbanística, de forma concreta e eficiente, para que não se ponha em causa a proteção do bem.

A Confraria já assumiu também o compromisso de retirar o edifício em betão de apoio à esplanada do Bom Jesus. A demolição ocorrerá, provavelmente, durante o ano de 2021, e desta forma o ponto 6 ficou aprovado. A requalificação e novas funções (centro interpretativo) para o espaço já está projetado pelo Arquiteto Carvalho Araújo.

O sétimo e último esclarecimento que a UNESCO solicitou foi respondido com um estudo completo e detalhado, nunca antes realizado, sobre a compreensão da vegetação existente no Bom Jesus. Este trabalho inédito irá permitir fazer um planeamento e gestão mais sustentável da paisagem.

A Confraria do Bom Jesus está a trabalhar ao nível das exigências que a UNESCO pretende, procurando rodear-se dos melhores especialistas e trabalhar em conjunto com as entidades locais e nacionais, com responsabilidades no território.

Quando assumimos a candidatura a Património Mundial da Humanidade, sabíamos que o trabalho não ficaria terminado com a inscrição. Porquanto, hoje estamos preparados para dar uma resposta capaz a todas as exigências e pedidos de esclarecimento da UNESCO, para que o Bom Jesus possa continuar a ostentar este selo internacional que tanto nos honra.

A apreciação positiva resultou na aprovação por parte do Comité do Património Mundial, provando que a Confraria do Bom Jesus está a honrar os seus compromissos e, por isso, continuamos no bom caminho da salvaguarda de um Bem que é Património Mundial.