Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Capela das Quedas

Capela das Quedas

ou do Cireneu

Segundo o mapa do santuário feito por Carlos Amarante, em 1789, esta capela de construção sólida e elegante, com preocupações cenográficas e teológicas no interior das mesmas, aparece no sítio onde se encontra presentemente.

A nona capela das Quedas, ou do Cireneu, construída no século XIX, de planta sextavada e cúpula piramidal de seis faces, do lado direito de quem sobe, apresenta no cimo da porta de entrada a inscrição: «ET VENERUNT IN LOCUM QUI DICITUR GOLGOTHA», traduzida assim «E vieram a um lugar que se chama Gólgota».

No interior da capela sobressai a mensagem: «No caminho do calvário o Bom Jesus não aguenta com o peso da cruz e cai por terra. Cai uma vez, caiu duas vezes, e, à terceira, os judeus receando que morresse pelo caminho convidaram um homem, chamado Simão Cireneu, para o ajudar a levar a cruz. Esta capela mostra Jesus caído em terra e o Cireneu a amparar-lhe o madeiro».

As imagens são da autoria do escultor bracarense Evangelista Vieira. Quer esta, quer a capela seguinte são posteriores a D. Rodrigo de Moura Teles, pelo que não possuem a insígnia heráldica do prelado.

A ordenação das capelas do Bom Jesus não segue os passos da tradicional Via Sacra, neste caso a capela do Cireneu seria a 5.ª estação.

DSC00102

O Bom Jesus do Monte, referência incontornável.